sexta-feira, 30 de julho de 2010

Rio

"E eu queria acreditar quando me dizem que tudo vai ficar bem."


- Inspirado na garota do ônibus - 


Encostou a cabeça na janela e não parecia se importar com todas as outras pessoas dentro do ônibus, cada uma com seu próprio inferno particular. Simplesmente respirou fundo. E chorou.
As pessoas olhavam, a maioria disfarçadamente. Com pena, com espanto, com medo - como se chorar fosse a coisa mais sobrenatural do mundo.
Eu não pude deixar de imaginar o motivo por trás daquilo, a nascente daquele rio que ela desaguava através dos olhos, libertando tudo que estava preso, encalhado, entalado em sua garganta, em sua cabeça e em sua alma.
Saudades da família que ficou na capital quando ela resolveu se mudar para cá para estudar. Um bicho de estimação doente. O namorado que foi embora, assim mesmo, sem mais nem menos, e nunca ligou para saber como ela estava, o quanto estava sofrendo. O cheiro dele impregnado nas cortinas do seu quarto. A bolha no pé, causada por aquele sapato que custou metade do seu salário curto.
Ela deslizava o olhar pela janela. Observou o céu e as pequenas nuvens cinzas - a chuva que estava por vir. Então, voltou seu olhar para mim. Percebeu que eu a estava observando, invadindo sua privacidade, mergulhando cada vez mais fundo em seu rio.
Eu desviei os olhos, como quem se desculpa.
Eu quis me levantar, colocar a mão em seu ombro, pedir que respirasse, prometer que tudo daria certo.Mas eu não poderia pedir que parasse. Porque nenhuma palavra que eu dissesse seria tão confortante quanto seu próprio choro. Nada poderia limpar melhor sua alma.
Então ela continuou a chorar, sem culpa e sem vergonha.
Enxugou seu rosto quando chegou em seu destino e desceu do ônibus, olhando ao seu redor, se perguntando se aquele era o destino certo.
Se era o destino certo para ela.
E se seria aquele destino para sempre.

8 comentários:

Jaquellinee disse...

Nossa profundo rs
Gostei
Bjs

Maria Luísa disse...

que lindo seu texto!!
kra!!curti mto sua escrita!
mto mesmo!

C.Beê! disse...

Meeu Deus cara!
Que coisa maravilhosa!! =O
Acho lindo quando as pessoas observam, tentam se por no lugar, saem por um momento ou mais da sua bolha chamada ego...
Essa capacidade faz delas crescerem, em mente e espírito. Sem dúvida você é uma delas :)
Me lembrou as pessoas que eu observo no Ônibus, e os pensamentos sobre elas que me ocorrem...
Seus desfexos sempre são ótimos!
Eu tinha um blog a uns anos, com outro nome: Luana. ( http://luana-pinheiro.blogspot.com) Voce entrou , gostou e comentou,ai eu entrei no seu e me surpreendi, assim como ainda me surpreendo agora.
Fiquei um tempo sem entrar, perdi a senha, e parei um tempo. Até que resolvi fazer novamente só que assumindo a autoria de vez. E sem pestanejar procurei seu blog novamente, porque foi algo que realmente marcou!
Agora entendo o por que, seus textos são mesmo uns dos poucos ( acredito que os únicos) nos quais me reconheço inteiramente...

Parabéns novamente!
Adoro seu blog...
Abrç

Danielly Tiepo disse...

OOOi

PAssando pra dizer como ta fofo o blog, e uma postagem melhor q a outra, uma mmais profunda q a outra!

Sempre sua fã...

Bjinhos e uma ótima semana!

http://blogdatiepo.blogspot.com

Julie C. disse...

Nossa! Que lindo, to impressionada. To te seguindo, não espero que me siga nem nada. Continue postando sempre por favor, voce é muito bom.

Rosana :) disse...

xD Comecei a ler seu texto e parece que me vi aí...
Algumas vezes eu já voltei chorando de algumas viagens que eu fiz(parentes,namorado e tal)...
Sempre quando eu volto triste de alguma viagem,eu sento la no ultimo banco e venho embora chorando... É até engraçado,e legal que nao sou só eu que faço isso!

Estou seguindo,se der dá uma passadinha aí: http://pertodohorizonte.blogspot.com/

um abraço ;)

gaucheporemfeliz disse...

Uau! Gostei do texto... parabéns é realmente bonito...

Carolina B.! disse...

Eu entro aqui, a procura de post novo, e não acho. :' vou ler teus antigos então :B

Visitas