sábado, 17 de julho de 2010

Pluma

Desejo coisas boas para minha alma e cores vivas para o mundo ao meu redor.
Portanto, mato o tempo que insiste em ser exato, retiro pétalas de flores que ousam ser perfeitas e pinto de alaranjado o pôr-do-sol apenas para poder me deitar na grama e saber que eu participei da mudança que eu quis ver.
Desejo sabor de chocolate para minha alma e água na boca pelo mundo ao meu redor.
Leio bilhetes que não foram escritos para mim e me coloco no lugar, não de quem recebeu, mas de quem escreveu. É bom sentir vontade de mandar um bilhete para alguém.
Respiro fundo a brisa que sopra em algum sonho lúcido e concluo que não é ruim estar sozinho essa noite ou em outra noite qualquer.
E assim, me deixo ir. Deixo que minha subconsciência desenhe figuras tingidas de lilás, verde e momentos. E vou.
Porque vida é pluma, e nós somos o vento - nada mais do que o vento.

Um comentário:

C.Beê! disse...

Nuno, oi :)
Gosto tanto do teu blog, não consigo acompanhar frequentemente, mas do pouco que eu leio, me encanta imensamente!
Não preciso nem falar que voce escreve maravilhosamente bem (nãoé puxasaquiss.),seus temas tem muita sensibilidade, mas nada de vulgar, coisa meio dificil achar.
Faz pouco tempo que comecei a escrever mais, to tentando pegar o ritmo ainda... Dá uma olhada lá quando puder e sua opinião :) :

www.ventosemrumo.blogspot.com

Como disse você, 'somos vento'...
Abrço

Visitas