sexta-feira, 28 de maio de 2010

Fones de ouvido

Estavam dentro do carro, ele dirigindo em uma longa estrada, ela logo ao lado com os fones no ouvido.
Quando olhou para o lado, assim, como quem não quer nada, percebeu que ele mexia a boca. Apertou pause no seu iPod.
- O que disse?
Ele a fuzilou com os olhos.
- Como assim, "o que disse"? Não estava me ouvindo?
- Não. Eu estava ouvindo música.
- Você nunca me ouve!
- E você nunca me olha. Se olhasse, veria que não estava te ouvindo.
- Acho que estamos indo a caminho do fim.
- Não, querido, estamos indo para a casa dos seus pais.
- Não brinque, eu estou falando sério.
- Eu também estou. Ou você está me levando para outro lugar?
- Cale a boca!
- Como? - ela ficou chocada.
- Mandei calar a boca.
- Cale a boca você, idiota.
- Não me mande calar a boca!
- Não me mande calar a boca você!
Fez-se silêncio por alguns minutos.
- O que você dizia quando eu estava com os fones?
- Se não estivesse com eles, teria me ouvido.
- Sim, mas eu estava, portanto não te ouvi. Diga.
- Dizia que você está gorda.
- O quê?
- Sabe quantos quilos você pesa?
Mas ela não respondeu. Não sabia quantos, mas sabia que eram muitos acima do seu peso ideal.
- Não se atreva a me chamar de gorda! Já deu uma olhada na sua barriga?
- É menor que a sua.
- Mas é maior do que deveria ser.
- Cale a boca.
- Cale a boca você.
Ele estacionou o carro no meio do caminho.
- Chegamos.
Ela olhou ao redor, mas só havia mato e estrada.
- Chegamos onde?
- Ao fim.
- O quê?!
- Não quero mais.
- Não me quer mais? É o que você está dizendo?
- Sim. Não te quero mais.
- Ótimo.
- Ótimo.
Fez-se mais silêncio, e então ele abriu a boca. Algo nela (talvez sua intuição feminina) acusou que ele iria começar a reclamar, e ela decidiu intervir.
- Não comece.
- Me deixe apenas falar.
- Não. Você deixará de existir em 3, 2, 1...
Deu play em seu iPod novamente e perdeu-se em seu mundo particular. Não queria saber o que ele tinha a dizer. Ele já havia dito tudo. E um cara que não a queria mais, não merecia ser ouvido. Não tanto quanto a música merecia.
Ele deu a volta no carro e os dois voltaram ao começo.

4 comentários:

Danielly Tiepo disse...

Pura verdade pra um casal que se ama, se desentende... e logo volta ao começo se amando d novo :)

C.Beê! disse...

Diálogo dinâmico e divertido... ( comentário nerd) parece cena de filme hehe

Pura verdade?
A qualé.
Romantismo+ convivência, desgasta amor. Casamento é esse diálogo eterno( disputa de ofensas), ao menos nunca vi esse ' voltar ao começo'.

Retornar ao começo, parece mais idealismo no papel... :/

http://ventosemrumo.blogspot.com/

Gabriel Lorenzato disse...

Casamento é sempre casamento hehehehe... e às vezes é sempre bom que um assunto acabe e o que um tinha pra falar pro outro, não seja dito.

É muito importante um ''3, 2, 1...'' às vezes.

Ótimo texto.

Abraços!

Peyton Treborn disse...

Oie =)
adorei esse post! Muito bom.

As vezes faço isso, coloco os fones de ouvido e vou para o meu mundinho *-* isso me ajuda a enfrentar o mundo.

Ahh... eu mudei meu blog... agr eh http://thementalmorfose.blogspot.com/ (eu lembrei pq vi ali no cantinho dos eu blog... q tah o Mentalmorfose X hehe)

bjinhos =*

Visitas