segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Fuga

Eu estava correndo o mais rápido que eu podia e meus pulmões
começariam a sangrar logo. Meus tênis eram um pouco velhos e gastos e cada impacto dos meus pés contra o chão era um choque elétrico de volta para meus ossos, mas eu não podia parar de correr. Eles estavam atrás de mim e sussurravam meu nome. Eu podia ouvir, mesmo estando longe. Eu teria rezado se acreditasse em uma força superior. Eu teria desistido se não tivesse algumas coisas para fazer antes de morrer.
Então eu continuei correndo, ignorando o suor em minha testa e o seco da minha garganta. E enquanto corria, buscava respostas no vento tricando em meu rosto, mas tudo o que encontrava era medo.
Eu não podia me render. Eu não podia simplesmente deixar que eles tomassem conta de mim, por mais que eu tivesse alguns motivos para deixar esse lugar.
Mas eu escorreguei no chão úmido e a voz se aproximou. De repente, era minha voz.
Então eu descobri que era mais cruel do que eu pensava. Eu percebi que estava fugindo de mim.

2 comentários:

Mary disse...

Nosssa ameeeeeeeeeeeeeeeeeeei demaais *-*

anicka. disse...

pelo menos pra escrever você presta HOISHSOIA adoro vir aqui (:

Visitas